segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Swoon: Amor além do tempo - Nina Malkin











Título Original
: Swoon
Editora: Galera Record
N° de páginas: 364
I.S.B.N.: 9788501089038
Categoria: Literatura Estrangeira/Romance

A Grazi ganhou esse livro no sorteio do Up! Brasil e sem nem mesmo ler já me emprestou, pois ela já sabia qual o final da história, mas eu ainda não tinha noção e estava curiosa para saber o motivo das pessoas não estarem gostando (só eu mesma pra querer ler livro que o povo não gostou no final, affy!!).

Pois bem, de cara eu digo, considerando o livro todo, eu até que gostei do final…o problema, para mim, está no meio do livro e vou explicar o porquê!

Sinopse:
A cidadezinha de Swoon é uma pacata comunidade WASP encravada em Connecticut. Cada morador sabe seu lugar e não foge do destino traçado. Mas nem sempre foi assim. Há quase três séculos, um enforcamento agitou o sistema judiciário local. Sinclair Youngblood Powers foi acusado de matar a própria companheira, grávida. Mas seu único crime foi varrer a cidade com uma onda de sensualidade que incomodava a elite. E agora ele está disposto a se vingar. De todos. Tudo o que ele precisa é um veículo para retornar ao mundo dos vivos.
Penélope Leonard, ou Pen, é a rainha da escola local: bonita, loura e boa filha. Ao cair de uma árvore — não qualquer uma, mas o freixo onde Sinclair foi enforcado —, começa a apresentar um comportamento errático. As unhas à francesinha passam a ser pintadas de vermelho-sangue e ela desenvolve uma curiosa aversão a calcinhas. Sua prima, a novaiorquina Dice, na cidade para relaxar após a morte da melhor amiga, sofre de uma forma rara de epilepsia e que nada mais é que uma forte mediunidade. Ela sabe que herdou o dom da visão da bisavó romena.
E também sabe que não é a prima a responsável por tantos incidentes na cidade. Ao tentar exorcizar o espírito de Sinclair — chamado de Sin (pecado) não à toa — ela acaba o trazendo à vida. Seu adversário agora está ainda mais poderoso e irresistível, mas é preciso destruí-lo antes que a cidade inteira sucumba aos poderes de Sin. Pena que ela está cada vez mais apaixonada por ele. Recheado de sensualidade, SWOON – AMOR ALÉM DO TEMPO promete encartar jovens e adultos. Exatamente como seu trio de protagonistas.
O livro conta a história de Candice, apelidada de “Dice”, a qual vive na pacata cidade de Swoon, após mudar-se de Nova York por razões que não vou falar aqui para não “spoilear”.
Dice possui habilidades paranormais, normalmente ligadas a visões, mas quais são essas habilidades, tampouco o porquê delas não é bem explicado no livro, ficando uma ponta solta a ser explicada na sua sequência.

E é extamente em razão dessas habilidades que ela percebe quando sua prima, Pen, é possuída pelo espírito de Sinclair Youngblood Powers, apelidado de “Sin”, um espírito nada bonzinho, mas lindo e charmoso, que voltou para se vingar das antigas famílias da cidade de Swoon que o condenaram erroneamente à morte pelo assassinato de sua mulher.
“Primeiro, nós não nos vimos. Houve um cheiro, sim: o cheiro característico, meio salgado, de cavalos. Houve muitas outras sensações também. Mas chegarei a isso logo. O que quero deixar claro é que, assim que pus os olhos em Sinclair Youngblood Powers (em carne e osso), eu já estava apaixonada por ele.” (p. 9)
“- Você não me deixa alternativa a não ser tomá-la.
Fui tomada, agarrada, empurrada contra o tronco da árvore. Então minhas mãos se apertaram e protestaram.
- Olhe para mim – A voz se suavizou – Por Favor. […]
Eu vou olhar. Eu vou conseguir. Eu olhei. A luz da lua surgiu no meio das nuvens bem na hora que abri meus olhos. E lá estava ele. Segurando minhas mãos, elevadas como uma ponte entre nossos dois corações, o garoto mais bonito que eu jamais tinha visto." (p. 54)
O início do livro, enquanto Sin ainda continua dentro do corpo de Pen, é muito bom, a leitura flui e a estória é legal e consistente. O problema começa quando, após um ritual realizado por Dice e Pen, Sin deixa o corpo desta e assume corpo próprio, como um “golem”.

A partir daí, além dos personagens enlouquecerem, o próprio livro em si desanda, tornando-se, inclusive, incoerente em algumas partes. Tanto que nem explica direito como funciona essa coisa do “golem”, deixando os leitores confusos.

Dice, que era um personagem até legal se torna muito idiota por causa dessa paixonite sem sentido por Sin! E o próprio Sin revela-se um personagem bastante incoerente!
“Espectadores apareceram para observar, e achei que estava no Coliseu, pelo tipo de diversão apresentada aqui. Humilhante… Então porque eu estava rindo? Eu estava ofegante e tentando respirar, e desesperada para sentir de novo o aroma do hálito ácido daquele rapaz. Eu amava e odiava tudo, a respiração ofegante, a falta de ar, a luta as risadas e até (e principalmente) o medo.
[…]
Houve uma pausa; minha chance para lutar e fugir ou pedir – não, mandar – que Sin parasse (ele era meu golem ou não, afinal?). Mas não fiz nenhuma das duas coisas. E a palma daquela mão desceu sobre mim. […]” (p. 184)
Já no final do livro parece que os personagens "caem em si" e a história finalmente volta a tomar um sentido e um rumo, culminando em um final não muito feliz, mas que fez perfeito sentido para mim. Tá certo que muitas pontas soltas são deixadas, mas já que a autora resolveu escrever uma continuação, vamos esperar e ver se ela resolve esses mistérios, mas uma coisa é certa…tenho medo do que vem por aí!

Outra coisa muito importante a ser destacada, e agora fujo um pouco da estória, é o fato de algumas livrarias colocarem esse livro na seção infanto-juvenil, sem prestar atenção ao fato da própria Editora Galera Record classificá-lo como Romance, e não como Literatura Infanto-Juvenil. Isso porque o livro possui passagens impróprias para este público, enquadrando-se num tipo de literatura mais adulta, ainda que os personagens principais sejam adolescentes.

Já concluindo, apesar do livro possuir essas inconsistências e maluquices no meio da estória, ele é legal, diferente e irreverente, garantindo, em virtude dessas “loucuras”, boas risadas.

O segundo livro da série, de acordo com informações no site da autora, chamar-se-á “Swear” e tem lançamento previsto, nos EUA, para o verão ou início do outuno de 2011, que corresponde ao inverno ou início da primavera aqui no Brasil.

2 comentários:

  1. nossa, eu entendi agora.
    eu já comprei ele e vou ler, acho que vou gostar \o/
    hahaha
    fico muito boa resenha
    yay!
    *-*


    beijo

    ResponderExcluir
  2. Odiei esse livro, e vou passar longe do Segundo. =P

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D

Projeto Lendo a estante #1

Eu tenho o blog desde 2010, e desde então começou minha compulsão por comprar livros e mais livros e nunca acabar mais. Hoje me vejo com seg...