terça-feira, 14 de setembro de 2010

O Mundo Pós-Aniversário - Lionel Shriver







 


Editora: Intrínseca
Autor: LIONEL SHRIVER
ISBN: 9788598078656
Número de páginas: 544
Compre: aqui


O Mundo Pós-Aniversário é um livro que fala sobre os problemas do relacionamento a dois. Não existem forças sobrenaturais ou seres mitológicos na história, o foco está nos problemas cotidianos que os casais enfrentam e também nos questionamentos existenciais da personagem principal, Irina.

Veja a sinopse do livro:

"Confirmado o talento para o retrato psicológico demonstrado em seu premiado romance Precisamos falar sobre o Kevin, Lionel Shriver, em O Mundo Pós-aniversário, propõe um olhar corajoso sobre as implicações de uma escolha: quem amar. Ao usar uma estrutura com dois universos paralelos, apresentados capítulo a capítulo, a autora nos faz acompanhar o desdobramento do futuro de uma mulher envolvida com dois homens radicalmente diferentes.

Irina McGovern, uma ilustradora de livros infantis norte-americana, tem uma vida tranquila e estável em Londres, com o parceiro, uma conterrâneo expatriado, Lawrence Trainer - intelectual promissor, leal e disciplinado, que trabalha num prestigioso centro de estudos estratégicos. Para seu pequeno círculo de amigos, o relacionamento dos dois é de invejável solidez. Até a noite em que, inexplicavelmente, Irina tem uma vontade incontrolável de beijar outro homem: o velho amigo do casal: Ramsey Acton".

Irina é “casada” com Lawrence há 10 anos (eles não chegaram a se casar de fato, apenas “juntaram os trapinhos”) e trabalha como ilustradora de livros. No trabalho ela conheceu Jude e ambas ficaram amigas. Certo dia Jude convidou Irina e Lawrence para jantar e comemorar o aniversário do seu marido, Ramsey.

Esses jantares no dia do aniversário de Ramsey viraram uma espécie de tradição para o casal, mesmo Irina não gostando muito dele e dele e Jude terem se separado. No entanto, em um dos aniversários, Lawrence teve que viajar e disse a Irina que fosse jantar com Ramsey. Nesse jantar os dois conversaram muito e descobriram pontos em comum. A noite termina com eles quase se beijando na casa de Ramsey. Assim termina o primeiro capítulo.

Bom, a peculiaridade do livro começa aí, pois a partir desse ponto a autora conta duas histórias diferentes: uma na qual Irina traiu Lawrence e outra na qual ela não traiu. Sendo assim, o livro tem dois capítulos 2, dois capítulos 3, dois capítulos 4 e assim sucessivamente, de modo que você acompanha como teria sido a vida de Irina se ela tivesse traído e deixado o marido e como seria se ela tivesse sido fiel. O mistério sobre se ela traiu ou não segue até o último capítulo – este não é duplicado rsrs. Os únicos capítulos do livro que não são duplicados são o primeiro e o último.

Esse livro é interessante, apesar de, as vezes, você se irritar um pouco com as divagações da Irina. Ela passa páginas e mais páginas tentando pensar racionalmente sobre alguma coisa para depois acabar agindo por impulso.

Vou ser sincera e dizer que foi bom dar uma pausa nesses romances sobrenaturais e ler sobre problemas que podem acontecer com qualquer um. Vale ressaltar que a história da Irina começa onde normalmente terminam as histórias das outras mocinhas. Vou exemplificar: depois de vários livros (supondo que seja uma série) de desencontros os mocinhos dos outros livros finalmente ficam juntos e... fim, tipo, “e foram felizes para sempre”. Mas o que acontece depois? Eles tem filhos? Brigam? Será que alguma mocinha ficou com tanta raiva que mandou o mocinho dormir no sofá? As pessoas não contam o que acontece “depois do sim”. A Irina vive um relacionamento que já dura 10 anos, ou seja, está meio desgastado pela rotina e pelos problemas cotidianos, diga-se, pelos problemas enfrentados por qualquer casal.

Reitero, o livro é bom apesar de ser cansativo em alguns momentos. Vale a pena mais pela reflexão do que pela história em si. Ah! E conta com alguns clichês também, como a sogra chata. Nem o Lawrence nem o Ramsey suportam a mãe da Irina. rsrs

Vou encerrar a resenha citando um trecho do livro que escolhi porque a autora escreveu algo com o qual eu concordo plenamente, e alguns amigos meus já me ouviram falar coisas nesse sentido. A fala é da Irina e acontece durante o jantar em que ela e o Ramsey estão sozinhos:

“... Está certo, bonitas, então. Elas não fazem idéia de que o modo como são tratadas... do quanto isso tem a ver com a aparência. Sou capaz até de apostar que as pessoas atraentes têm uma opinião elevada da humanidade. Como todos são sempre gentis com elas, elas acham que todo mundo é bonzinho. Mas nem todo mundo é bonzinho. E as pessoas são de uma superficialidade incrível. É deprimente, para quem já esteve do outro lado. A gente é tratada como chiclete na sola do sapato, ou pior, coisa nenhuma. É como se não fôssemos só desagradáveis aos olhos, mas invisíveis. Os feios, os gordos, até as pessoas que simplesmente não são nada de especial, sabe? Eles têm que se esforçar mais para agradar. Têm que fazer alguma coisa para ser bem-sucedidas, ao passo que quando a pessoa é bonita de ver, não tem que fazer nada além de ficar lá parada, e todos ficam completamente encantados.”

3 comentários:

  1. Grazi como vc falou, é bom mudar um pouco, ler sempre livros sobrenatural cansa :P

    Eu tenho que confessar que livros com traição não curto muito >.<
    Mas como esse são duas estórias paralela e no final que a gente fica sabendo se ela traiu ou não, vou querer ler.

    E já estou curiosa pra saber o final ;)
    hehe


    Boa resenha.

    bjos

    ResponderExcluir
  2. Nossa eu fazia uma outra idéia desse livro.
    Adorei o trecho que você colocou. Tudo a ver.

    Bjs
    Luka.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, também tinha uma idéia completamente diferente desse livro, mas pela sua resenha eu gostei bastante....é bem diferente essa intercalação de capítulos!!

    Ótima resenha, Grazi!!

    Bjo

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D

Projeto Lendo a estante #1

Eu tenho o blog desde 2010, e desde então começou minha compulsão por comprar livros e mais livros e nunca acabar mais. Hoje me vejo com seg...