terça-feira, 23 de novembro de 2010

Dois Pesos, Duas Medidas - Judith McNaught







Editora: Bertrand Brasil
Autor(a): Judith McNaught
ISBN: 9788528614305
Número de páginas: 294

“Homem de viril beleza, Nick Sinclair, presidente da Global Industries, comanda os negócios da mesma forma como o faz com suas mulheres – com charme, ousadia e implacável autocontrole. Acostumado ao que há de melhor, ele contratou Lauren Danner e supôs que a orgulhosa beldade logo seria mais uma conquista fácil. No entanto, a brilhante inteligência e a rara energia da jovem o deslumbram. Aos poucos, contra sua vontade, ele se vê intrigado, desafiado e... apaixonado.
Entretanto, Lauren vive uma mentira, uma farsa que se torna mais perigosa a cada momento. Seu segredo pode destruir a frágil confiança de Nick – e a promessa de um futuro com o homem mais irresistível que ela já conheceu.”
Quando Lauren conheceu Nick, ela literalmente caiu aos seus pés.

Lauren estava saindo de uma entrevista de emprego na empresa Sinco quando pensou estar sendo perseguida por um ladrão, ao tentando escapar acabou caindo aos pés de dois desconhecidos, um dos quais era o homem mais deslumbrante que ela já vira.

Após a queda, Nick e Lauren conversaram um pouco e a conversa se encerrou com a promessa dele de ajudá-la a conseguir o emprego na Sinco. No entanto, havia dois fatos que ambos ignoravam:

1) Nick não contou a Lauren que era o presidente da empresa e enteado de Philip Whithworth.

2) Lauren não contou a Nick que estava tentando conseguir um emprego na Sinco porque o Sr. Whithworth a mandou para investigar a empresa.

Para completar a confusão, eles se apaixonam um pelo outro...

Lauren é uma personagem muito forte, não é daquelas mocinhas que passam o livro inteiro chorando por um homem. Ela e Nick, apesar de gostarem um do outro, brigam muito. Nenhum dos dois gosta de levar desaforo para casa. As brigas entre eles, em alguns momentos, são engraçadas:
“- Sempre que a vejo, parece que não posso deixá-la ir embora.
- Você me despediu!
Ele riu.
- Acabei de recontratar.” (Página 150)
Nick, apesar de ser muito charmoso, tem umas tendências meio machistas. Ele consegue nos fazer suspirar em alguns momentos e em outros nos fazer quase morrer de raiva! Eu gostei dele, apesar de já ter lido livros com mocinhos mais apaixonantes.

Na minha opinião, o ponto alto da estória é a relação de amor e ódio entre os personagens, uma vez que, apesar de se gostarem, estão sempre brigando e guardando segredos um do outro.

Bom, quem me conhece sabe que eu sou suspeita para falar dos livros da Judith McNaught, pois já li alguns e gostei de todos, principalmente dos romances históricos. Fica a dica para quem gosta do gênero!


4 comentários:

  1. Eu, particularmente, acho a Judith maravilhosa. Amo os livros delas, são os melhores romances de banca de todos os tempos. haha
    "Agora e Sempre", é meu romance de banca favorito dela, embora goste também de "Whitney, Meu Amor" sendo um dos pontos fracos deste livro (pra mim) a forma como a personagem vai perdendo a personalidade no decorrer do livro. Porque, sabe, amo personagens femininas com personalidade forte!

    Quanto a resenha, eu adorei! Fiquei louca de vontade de ler o livro, e agora, como faço? haha

    Se der, dê uma passada no blog, sim? Vai ser ótimo ver você por lá! ;D

    Eduarda,
    Equipe The Coolture.

    ResponderExcluir
  2. Eu tive raiva no início desse livro e logo pressenti que ia cair uma bomba lá no meio dele!!

    Lauren foi mto idiota no início, mas ainda bem que caiu na real e ficou uma personagem muito melhor!! As brigas dela com Nick são muuuito hilárias...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....ri muito com eles dois!!

    Agora no momento clímax / bomba do livro me deu vontade de colocar o livro no freezer (#JoeyFeelings) só pra não ver a Lauren sofrendo tanto....tadinha!!

    Gostei um bocado do livro, mas pra mim a Rachel Gibson ainda é melhor do que a Judith!! Enfim...só vou poder ter ctz qnd ler os livros históricos da Judith, pq. dizem que esses são o ponto forte dela!!

    =p

    ResponderExcluir
  3. A Judith é beeeem melhor escrevendo livros históricos. Vc vai notar a diferença na hora, Carol!!!

    =D

    ResponderExcluir
  4. Faço minhas as palavras da Grazi.

    Não tem comparação os históricos da Judith.
    Que não é histórico e que você não pode perder é Em Busca do Paraiso e Tudo por Amor, esses dois são o máximo.
    Já, Todo ar que Respiras foi muito fraco e alguns outros também que nem me chamaram atenção ... enfim ...
    Mas os históricos, sem comparação, Agora e Sempre, Whitney Meu Amor, Um amor Maravilhoso, Alguém Para Amar, Um Reino de Sonhos ... todos são perfect!

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D