terça-feira, 12 de abril de 2011

Água para Elefantes - Sara Gruen
















Autor: Sara Gruen;
ISBN: 978-85-99296-15-8
Editora: Sextante




Sinopse: "Desde que perdeu sua esposa, Jacob Jankowski vive numa casa de repouso, cercado por senhoras simpáticas, enfermeiras solí­citas e fantasmas do passado. Por 70 anos Jacob guardou um segredo. Ele nunca falou a ninguém sobre os anos de sua juventude em que trabalhou no circo. Até agora. Aos 23 anos, Jacob era um estudante de veterinária. Mas sua sorte muda quando seus pais morrem num acidente de carro. Órfão, sem dinheiro e sem ter para onde ir, ele deixa a faculdade antes de prestar os exames finais e acaba pulando em um trem em movimento - o Esquadrão Voador do circo Irmãos Benzini, o Maior Espetáculo da Terra. Admitido para cuidar dos animais, Jacob sofrerá nas mãos do Tio Al, o empresário tirano do circo, e de August, o ora encantador, ora intratável chefe do setor dos animais. É também sob as lonas dos Irmãos Benzini que Jacob vai se apaixonar duas vezes: primeiro por Marlena, a bela estrela do número dos cavalos e esposa de August, e depois por Rosie, a elefanta aparentemente estúpida que deveria ser a salvação do circo. Água para elefantes é tão envolvente que seus personagens continuam vivos muito depois de termos virado a última página. Sara Gruen nos transporta a um mundo misterioso e encantador, construí­do com tamanha riqueza de detalhes que é quase possível respirar sua atmosfera".

Antes de começar a ler esse livro não botava muita fé na estória, pensava: “É... pode até ser que seja bonzinho...”. Imaginei que um livro chamado Água para Elefantes não podia ser muito bom. Ledo engano. Fiquei tão envolvida com os personagens que não conseguia parar de ler!

Não gosto muito do clima circense. Admito. Talvez eu tenha sido uma criança estranha, mas nunca gostei de circo e, principalmente, nunca gostei de palhaços. Eu tentava rir das piadas que eles contavam, sério, tentava mesmo, mas não conseguia. Eles são tão sem graça. Enfim, o importante é que, mesmo não gostando de circo, amei o livro!

Jacob é um dos personagens mais fofos que eu já vi. Quando jovem, ele era um rapaz doce e dedicado. Quando velho, se tornou ranzinza, mas não de um modo ruim. Ele se tornou aquele ranzinza fofo que nos causa vontade de rir da sua rabugice.


“Então, qual é o menu de hoje? – resmungo enquanto sou empurrado para a sala de jantar. – Mingau? Purê de ervilha? Farinha láctea? Ah! Deixem-me adivinhar, é tapioca, não é? Ou estamos chamando de arroz-doce esta noite?
(...)
Sei que alguns de nós já não tem dentes, mas eu tenho, e quero carne assada. A da minha esposa, completa, com louro e gordura. Quero cenoura. Quero batata cozida com casca. (...) Mas, sobretudo, quero milho na espiga.
Às vezes acho que se eu tivesse de escolher entre uma espiga de milho e fazer amor com uma mulher, escolheria o milho. Não que eu não fosse gostar de curtir uma última trepada – ainda sou homem e algumas coisas nunca morrem -, mas só de pensar naqueles grãos doces estourando entre os dentes fico com água na boca. É uma fantasia, eu sei.”
pg. 11


A estória do livro se passa em 1931, ou seja, a situação dos E.U.A. ainda estava difícil em razão da crise de 1929. Desse modo, muitos circos estão quebrando por todo o país e o Tio Al, dono do Circo Irmãos Benzini, aproveita essa situação para comprar animais e contratar artistas dos concorrentes falidos.

Logo que se junta ao circo, Jacob é designado para cuidar dos animais, uma vez que ele era quase formado em veterinária. Foi assim que ele se aproximou de August, o diretor do setor equestre e superintendente dos animais, e Marlena, esposa deste e estrela do número de animais.

Marlena casou com August quando tinha dezessete anos. Ela ficou deslumbrada com o encanto dele e, como a família queria casá-la com um banqueiro velho e rico, a melhor opção parecia ser casar com aquele encantador homem do circo. No entanto, a personalidade dele alternava entre a completa amabilidade e a violência extrema. Ela só percebeu isso depois do casamento, então resolveu viver da melhor maneira possível e manter a família. Até que Jacob apareceu.

A relação entre Jacob e Marlena se desenvolveu de uma maneira encantadora. No início eles tentaram ficar afastados, mas a violência de August acabou aproximando-os. Achei que as coisas aconteceram no momento certo, nem muito rápido, nem muito devagar.

Jacob também conhece no circo o outro amor da vida dele: Rosie. Ela é uma elefanta comprada por Tio Al para ser a atração principal do espetáculo. No entanto, ela não obedece aos comandos do treinador e é castigada por isso. Rosie incrementou a estória do livro que uma forma que eu não poderia imaginar. Durante a leitura eu visualizava o Jacob cuidando de uma elefanta travessa como se fosse um bichinho de estimação. Fofo!

Fiquei muito sensibilizada com os trechos narrados pelo Jacob no asilo. Não há como ler e não imaginar como você estará quando envelhecer. É muito chocante perceber que, num dia, você está trabalhando, cuidando da casa e dos filhos, e no outro você está num asilo como se fosse um traste velho. Chorei em alguns momentos.

O livro também tem alguns momentos engraçados. Vou citar apenas um deles (diálogo entre Tio Al e Jacob sobre August):

"- Ele está doente, Jacob.
Não digo nada.
- Ele é protótipo esquizofônico.
- Ele é o quê?!
- Protótipo esquizofônico – Tio Al repete.
- O senhor quer dizer esquizofrênico paranoide?
- Isso. Tanto faz. (...)"
pg. 219 


Eu gostaria de citar muitos outros trechos do livro, mas a resenha ficaria enorme e cheia de spoilers. Vou encerrar dizendo que se tivesse que resumir a estória usando apenas uma palavra, eu usaria: Doce. Água para Elefantes está na minha lista de favoritos!

Dedico esta resenha ao meu avô. Ele nunca foi internado em nenhum asilo e morreu em casa, muito bem cuidado pela minha mãe e tios. Ele morreu da mesma forma que viveu, com dignidade. Não teve que passar pelo desprezo da família, nem ter que contar com a caridade de estranhos. Os anos que ele dedicou aos filhos durante a juventude foram lembrados na sua velhice.

 capa antiga do livro

5 comentários:

  1. Dizer que eu já li este livro 3 vezes... sintetiza todo o meu amor por 'Água para elefantes'... um dos livros mais sensíveis e lindos que já li...
    Eu sabia que você ia gostar, Grazi!

    ResponderExcluir
  2. Já comprei o livro mas não sei quando poderei ler. Gostei muito da capa, espero gostar do livro também.
    Bjkas!!

    Monique Martins
    MoniqueMar
    @moniquemar

    ResponderExcluir
  3. Gostei mesmo!! Esse livro é muito bom!!!!!

    =D

    ResponderExcluir
  4. esse livro é tuuuuuudo de muito bom! Um dos romances que mais gostei de ler =D
    loucaaaa pra ver o filme *-*

    ResponderExcluir
  5. Sua resenha ficou linda, Grazi!! Quero muito ler o livro!!

    Pena que o filme não foi tão bom...uma estória que parece ser tão bela deveria ter sido melhor explorada!!

    =*

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D