quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Gogol – O Retrato ( Conto)











Título original: Portret
Autor: Nikolai Vassilievitch Gogol
Editora: L&PM 
Páginas: 64
ISBN: 978-85-254-2572-0


Digamos que sou uma ignorante em literatura russa, pouco li nessa minha vida os autores daquele pais que tanto admiro.

Gogol é um dos nomes mais presentes da literatura Russa seja por ter incluído o realismo fantástico na literatura do seu pais e por ser um contista de estilo e escrita únicos, uma verdadeira descoberta que me dei ao luxo de fazer.

Comprei a edição que contem somente o conto O retrato na edição da L&PM de 64 páginas por R$5,00.

As edições 64 páginas por R$5,00 prova que as pessoas só não leem porque não querem, elas são compostas a maioria por: contos, crônicas e poesias; e são ótimos para ler em uma fila de espera de médico (foi o que fiz aliás) e são grandes nomes da literatura mundial que compõem essa coleção.

Este é um conto do realismo fantástico com um pé no surrealismo (não sei porque mas lembrei do Dalí em vários momentos) , apesar de ser uma história curta ela não é lida em pouco tempo, ela demanda uma atenção extra.

O conto é dividido em duas partes: na primeira um pintor pobre que não quer se vender aos retratos da moda fica encantado pela pintura de um homem moreno vestido com vestes árabes que possui uma expressão penetrante e olhos que parecem estar vivos, ele compra o retrato e a partir daí várias coisas acontecem na sua vida; na segunda parte temos o relato sobre o surgimento do retrato, esta parte me perturbou muito e ao final do conto não conseguia olhar a capa do livro, pois ela representa exatamente a pintura citada.

O retrato me lembrou um conto de Stephen king que esta na coletânea Tudo é eventual,o conto se chama O Vírus da Estrada Vai Para o Norte, ambos falam de quadros ‘’vivos’’. Sensacionais.

Ler O retrato me deu uma vontade louca de escolher habilitação em Russo só para poder estudar a literatura russa e me deliciar com os representantes deste país.

Recomendo fortemente!!!!!

2 comentários:

  1. O retrato carrega uma maldade na qual, por mais que não encontremos explicações, sejam elas psicológicas ou espirituais, esse retrato de fato está vivo. No caso do pintor ele se vendeu a superficialidade ao modismo e morreu frustrado e confuso. Gogol sempre me surpreende. Bom resumo, estou procurando em PDF para repassar para alguns amigos.

    ResponderExcluir
  2. Gostei demais desse conto! Experimente ler O Nariz, dele tb!
    ;)

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D