domingo, 8 de agosto de 2010

Em Cartaz: A Origem (Inception)


Sinopse: Dom Cobb (Leonardo Di Caprio) é um ladrão eficiente que está entre os melhores na arte da extração: roubar segredos valiosos de dentro dos confins do inconsciente durante o estado de sono, quando a mente se encontra mais vulnerável. Esta rara habilidade tornou Cobb um perito cobiçado no traiçoeiro ramo da espionagem corporativa, mas também o transformou em um fugitivo internacional e o levou a sacrificar tudo aquilo que amava. Agora Cobb tem uma chance de redenção. Uma última oferta de trabalho poderá devolver sua vida ao normal, mas para isso ele deverá encontrar o que é impossível - a origem. Ao invés de executar um assalto, Cobb e sua equipe de especialistas precisam realizar o inverso; sua missão não é roubar uma idéia, mas sim implantar uma. Se conseguirem este poderá ser o crime perfeito. Mas nenhum plano ou experiência poderia preparar a equipe para o perigoso inimigo que parece prever cada passo deles. Um inimigo que somente Cobb poderia esperar.

Ficha Técnica:
Estréia: 06 de agosto de 2010;
Título Original: Inception;
Duração: 148 minutos;
Direção: Christopher Nolan;
Gênero: Ficção Científica; Ação;
Elenco: Leonardo Di Caprio; Ken Watanabe; Joseph Gordon-Levitt; Marion Cotillard; Ellen Page; Tom Hardy; Cillian Murphy; Tom Berenger; Michael Caine;
Música: Hans Zimmer;
Distribuição: Warner Bros.

Hoje, trago para vocês a grande estréia dessa semana nos cinemas brasileiros e o filme que vem liderando a bilheteria americana a mais de três semanas: Inception (me recuso a usar o título brasileiro de "A Origem" porque, aloooooooooooo....nada a ver...tá certo tem um pouquinho, mas bem pouquinho mesmo a ver).

Quando eu vi o trailer desse filme no cinema a um bom tempo atrás, a primeira coisa que pensei foi: "Que filme louco! Será que tem como entender isso?!" Mas como era um filme dirigido por Christopher Nolan (diretor de Batman Begins e Cavaleiro das Trevas), além do elenco ser muuuuuito bom mesmo, e ainda juntando o fato que eu amo filmes de ficção, decidi que ia ver esse filme de qualquer jeito, nem que eu tivesse que ver dez vezes pra poder entender!

Pois bem, ontem tive a oportunidade de assistir a Inception e simplesmente A-M-E-I!! Para as pessoas que curtem o gênero de ficção com uma dose muito boa de ação, esse é um filme para você. A trama, apesar de parecer de início complicada, não é tanto assim, e quando ela se complica é de propósito mesmo!

O esquema para o roubo de idéias através dos sonhos é, na realidade, a parte mais simples do filme e é bem explicada pelos personagens ainda bem antes da metade do longa metragem, quando a jovem arquiteta Ariadne (Ellen Page) ingressa para a equipe comandada por Cobb (Leonardo Di Caprio).

O cerne do filme gira em torno desse último e quase impossível trabalho que Cobb decide aceitar, cujo objetivo é, ao invés de roubar uma idéia em um sonho, implantar uma idéia na mente (daí o nome "Inception", que, traduzindo, seria "inserção") de um grande empresário, Sr. Fischer (Cillian Murphy), o qual é concorrente de seu empregador, Sr. Saito (Ken Watanabe). Para tanto, este promete a Cobb que lhe concederá seu maior desejo, voltar para a casa e para seus filhos.

A equipe é montada e eles dão início ao plano, mas são surpreendidos por diversos obstáculos e problemas que surgem durante a operação, o principal deles oriundo da própria mente de Cobb, forçando-os a tomar medidas drásticas e a mergulhar cada vez mais no subconsciente, entrando em um sonho dentro de outro sonho, chegando a tal ponto que talvez não haja volta para alguns deles, os quais poderão ficar eternemente perdidos...no limbo...sonhando.

E é exatamente pelo fato de o filme se passar a maior parte dentro dos subconscientes, dentro dos sonhos, que as cenas de ação não tem limites...tudo pode acontecer e, para tanto, os efeitos especiais não deixam nada a desejar, garantindo excelência nesses momentos.

Faz-se necessário destacar, também, a trilha sonora instrumental do filme, de autoria, é claro, do grande Hans Zimmer (Piratas do Caribe, Sherlock Holmes, etc), que aprimoram ainda mais os momentos de tensão do filme.

Mas o melhor do filme mesmo está na genialidade da idéia criada por Nolan ao reinventar os clássicos filmes de roubo, inserindo-os nesse mundo dos subconscientes e dos sonhos, tão maravilhosamente arquitetado.

Além disso, também não posso deixar de fora a outra incrível criação desse diretor que foi o personagem Cobb, cuja história e mente são, na realidade, a verdadeira complexidade do filme, deixando-nos confusos, apreensivos e reflexivos, buscando por explicações e respostas que nem sempre nos são dadas, principalmente ao adicionar-se a personagem Mal, tão bem interpretada por Marion.

Para concluir, só quero prepará-los psicologicamente para o final do filme: ele é extremamente ambíguo e deixa uma incógnita no ar que fará você refletir e repassar o filme 500 mil vezes tentando descobrir o que realmente aconteceu, ou mesmo fazê-lo voltar ao cinema umas dez vezes só pra revê-lo. Eu mesma fiquei com cara de "WTF?!" no cinema e quase grito de raiva quando o filme terminou. Vou revê-lo pelo menos mais uma vez, mas acredito que, propositalmente, Christopher Nolan não deixou pista alguma durante o filme, ele queria mesmo era deixar essa incógnita sem resolução, o que, ao meu ver, torna o filme ainda mais interessante e intrigante.

Para quem quiser ver o trailer e conferir o site do filme, basta clicar aqui. Esse filme vale muito a pena ver, #ficadica!

3 comentários:

  1. Eu amooooooooooooooooooooo Hans Zimmer!!!! Ele tem muito talento!!!

    Ótima resenha!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei. =O.
    Acredita que nem sabia sobre esse filme, rsrs.
    Mas quero assistir, adoro filmes nesse estilo.
    vou ver se tem nos cinemas a qui perto. ^^
    beijos.

    ResponderExcluir
  3. Carol,
    Quero muito assistir !
    Amei sua resenha empolgada.

    rsrsrs

    Bjs
    Luka.

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D

Projeto Lendo a estante #1

Eu tenho o blog desde 2010, e desde então começou minha compulsão por comprar livros e mais livros e nunca acabar mais. Hoje me vejo com seg...