quarta-feira, 10 de novembro de 2010

E a saga sobre os livros de banca continua...


Eu sei que, recentemente, vários blogs fizeram posts sobre livros de banca. Alguns expressaram certa “vergonha” com relação a esse gênero, afirmando que os títulos lembram as novelas mexicanas exibidas pelo SBT e que as capas também são igualmente constrangedoras (veja um exemplo aqui e aqui).

Já outros blogs continuam defendendo os livros de banca e combatem veementemente atitudes preconceituosas contra o gênero.


Em meio a toda essa polêmica, veio a público um e-mail escrito por uma determinada editora (vou chamá-la assim), no qual afirmava que os romances hot não tinham uma boa vendagem e insinuando que a mulher brasileira é “muito pudica”.

Para quem não sabe, os romances hot são aqueles nos quais o casal não passa o livro todo morrendo por causa de um simples beijo na boca, ou seja, contêm cenas de romance mais explícitas, como na Irmandade da Adaga Negra. Série esta que, por sinal, é sucesso de vendas.

Depois de tanto ver comentários por todos os lados e debates no twitter, resolvi fazer um post e expressar de vez minha opinião.

Bom, vou logo começar dizendo que repudio qualquer forma de discriminação contra gêneros literários, de modo que não concordo com aquelas pessoas que pensam que apenas o que elas lêem é bom e que os demais livros são ruins. Não importa se o alvo da discriminação são livros de banca, ou chick-lits, ou de vampiros, ou do que quer que sejam. Cada um lê o que quiser e ponto final.

Quem nunca sofreu discriminação pela literatura que lê? Quem nunca ouviu: “Vc gosta desse tipo de livro?” Argh! Odeio isso!

Bom, quanto aos títulos e as capas dos livros hot, vou dar o braço a torcer e admitir que algumas são constrangedoras. No entanto, nem todas as capas são ruins, algumas são realmente bonitas (veja exemplos de capas legais aqui e aqui).

Na minha humilde opinião, existem dois grandes problemas que envolvem esse gênero de leitura: As capas/títulos constrangedores (como já falei) e a falta de divulgação.

Veja, quando eu falo de divulgação não quero dizer apenas divulgar a existência dos livros, pois todo mundo já sabe que eles existem. Quero dizer um trabalho de marketing que mostre os pontos positivos desses livros, que mostre o sucesso deles em outros países, que explore a grande vantagem que eles têm em relação aos livros de livraria: O preço! Os livros de banca custam, em média, uns R$ 20,00 a menos do que os livros de livraria e não existe divulgação em torno disso.

A questão que eu coloco em pauta é: Será que a mulher brasileira realmente não quer os livros hot ou as editoras não estão sabendo trabalhar com eles?

Os livros hot têm vendagem garantida no EUA e, às vezes, eu sinto que as editoras querem usar o método de abordagem americano para conseguir o mesmo sucesso. O problema é que o público dos dois países é diferente, portanto necessita de abordagens diferentes.

Vou encerrar dizendo que os livros hot, quando trabalhados da maneira correta, podem sim ser um sucesso de vendas. Como grande exemplo cito a Irmandade da Adaga Negra. Extremamente hot e extremamente sucesso de público!


23 comentários:

  1. Adorei o post, Grazi e assino em baixo!!

    Ninguém deve ser discriminado pelo tipo de livro que lê, o importante é ler e ponto final!! A leitura é um hábito que deve ser cultivado e estimulado, independentemente de qual tipo seja, até revista e gibi serve, quanto mais livro de banca!!

    Eu acho um absurdo editoras que mudam o que foi escrito no livro original pela autora a fim de que as cenas picantes sejam amenizadas...ISSO É RIDÍCULO!! Quem dá direito a editora mudar aquilo que foi escrito originalmente pelo autor!!

    Ninguém devia sentir-se constrangido pelo que lê e todos devem respeitar isso!!

    Tinha mais coisa que eu queria fala, mas agora eu esqueci!! =p

    Quando lembrar volto para desabafar!!

    ResponderExcluir
  2. Amei seu post... tem muito tempo que não leio romances de banca...mas vou comprar um hoje...para relembrar meus tempos...
    Concordo com vc Grazi sobre o preconceito...qualquer preconceito é bobo...eu leio e não tenho vergonha...sou amante dos Irmãos da IRMANDADE DA ADAGA NEGRA livros com capas lindas e conteúdo maravilhoso de quente.

    ResponderExcluir
  3. Verdade, Carol!!!

    Qtas vezes nós fomos discriminadas só pq lemos livro de vampiro???? Isso é o fim da picada!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Metendo a colher... concordo totalmente! Sou leitora vorz de livros de banca, colecionadora! Já sofri muito preconceito e já cheguei a ouvir q leio "pornô"disfarçado!

    Absurdo né?

    Mas enfim, tem opnião pra tudo!

    bjsss

    ResponderExcluir
  5. Realmente, vc falou certo. Acontece que quando se pensa em "livro hot", o povo tem na cabeça uma história de sexo, sexo, sexo, sexo e... mais sexo a história toda, e não é nada disso. ¬¬' Mas é mais fácil vc virar a cara do que conhecer, não é mesmo? Mas como vc falou, IAN tá aí pra mostrar o sucesso de vendas, e não é sexo "baixo" por assim dizer, como a gente vê em muita coisa na TV, por exemplo. É sempre algo bonito... bom, enfim, a mulher brasileira gosta sim de algo mais hot, o problema é sua vergonha em admitir isso.(pq sorry, mas essas que ficam falando que não conseguem nem olhar pras capas, devem ser as mais santas né...) A Universo dos Livros vai lançar mais gêneros estilo IAN, quem sabe agora a gente não consiga tirar aos poucos esse preconceito? Quanto aos de banca, é como vc falou... as duas primeiras capas são algo mais hot, pq realmente a série é voltado mais para o lado "hot" (principalmente Fuego, rs), já as duas outras, são algo mais leve. Mas infelizmente ainda acho que o preconceito vá continuar... enfim, adorei o post, amo romances de banca, um romance mais adulto, e sou viciada, ahushusah Se a pessoa não quer ler algo hot, que vá ler um Teen! Acho muito injusto essa "certa" editora ter falado o que falou... não pensou em quem realmente gosta dos livros. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Sobre a Irmandade da Adaga Negra é um livro Hot, não é extremamente hot, ja li bem mais hots.

    esse problema é muito complicado, tanto por conta das editoras como por conta dos próprios leitores, Conheço pessoas que dizem ter vergonha, mas vão lá na internet e baixam livros da Ellora´s Cave para ler escondida.

    Não acho que as brasileiras sejam pudicas, acho que muitas são falso moralistas, dizem uma coisa pela frente, mas pelas costas fazem outra. É um povo muito preocupado com o que as pessoas vão comentar.

    Eu não tô nem aí, ninguem paga minhas contas, ninguém pode dar pitaco nenhum.

    Tem dias que eu quero é mesmo um livro hot, um livro que realmente tenha bastante pegada e sexo.

    Venhamos e convenhamos, sou uma mulher do 3º milênio, tô perto dos 30 e romances que relatem sexo, fantasias sexuais e momentos picantes é algo que condiz muito mais como minha realidade de Mulher.

    Gosto e não tenho vergonha.

    ResponderExcluir
  7. Carol!!!
    As #envenenadas endossam o seu post do inicio ao fim!!
    Ler é ser livre!!!
    Liberdade pra ler o que quiser!!!
    Concordo que as capas e títulos muitas vezes são "sugestivas até de mais"... Mas a Universo dos Livros vem trazendo a Irmandade da Adaga Negra de forma MAESTRAL e mostrando que esse gênero literário veio pra ficar!!!
    Vamos abraçar essa ideia!!!
    Todo mundo tem direito de ler e gostar do que quiser!
    Parabéns pela iniciativa!
    Bjs!

    @Envenenadas

    ResponderExcluir
  8. Oii...

    Gostei de seu post. Concordo com você sobre esse preconceito que existe por qual livro você ler, qual musica você escuta, e assim vai. Isso sempre vai existir, infelizmente. Mas aí, você não dá ouvidos e pronto, a gente deve ler o que gosta e ponto final, se a gente for dar ouvidos a tudo que falam, você temrina não vivendo não é verdade.

    Realmente acredito que o problemas desses livros é a falta de divulgação, a falta de "interesse" em levar um livro desse tipo mais a frente. Como você mesmo deu o exemplo da Irmandade, eu mesmo li todosss os livros e amei cada um mais que o outro.

    Enfim, acho que se mais gente começar a falar sobre esse assunto, acredito que as editoras pensariam no assunto. Isso seria bem legal.

    Beijão

    ResponderExcluir
  9. "pornô" disfarçado?!?! kkkkkkkkk. Morri de rir com essa!!!

    Realmente, tem gente que acha que a pessoa vai completar 40 anos de idade lendo livros que o casal passa 400 páginas p/ dar um beijo na boca. Dá um tempo!!!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi, vou pegar um trechinho da Alexandrina com qual eu concordo.

    "Não acho que as brasileiras sejam pudicas, acho que muitas são falso moralistas, dizem uma coisa pela frente, mas pelas costas fazem outra. É um povo muito preocupado com o que as pessoas vão comentar."

    O problema é que as editoras alegam que as leitoras não compram. Ou seja, leem em e-book escondido. Como exemplo, temos a série Fuego e a sabrina sensual que fecharam as portas e por isso as editoras não investem num selo HOT.

    Espero que agora com o sucesso da Irmandade e dos Senhores do Mundo Subterrâneo, eles voltem a fazer outra tentativa.

    bjokas

    Espero que

    ResponderExcluir
  11. Ai gente, sinceramente, acho toda essa história de preconceito um saco! Eu leio de tudo! De grandes clássicos até Bianca/Sabrina/Julia...
    Passou na minha frente eu tô lendo...kkkkkk
    Leitura na minha opinião é forma de buscar conhecimento, ampliar seus horizontes e, acima de tudo diversão! Tem gente que acha ler Kafta, Sartre ou Virgínia Woolf divertido, tem gente que não entende patavinas ou acha chato... Tem gente que adora livro de vampiro ou Harry Potter ou Becky Bloom, tem gente que acha idiotisse... Tem gente que acha livro de banca ridículo, tem gente que acha cult... Cada um tem sua opinião e TODAS devem ser respeitadas! Cada um tem o direito de ler o que julgar melhor e ninguém tem nada com isso... As editoras tem mais é que procurar saber trabalhar a divulgação de seus produtos e torná-los interessantes ao público!
    Quanto às questões sexuais da mulher brasileira... sinceramente eu estaria muito mais preocupada se elas tivessem procurando resolver suas "necessidades" com as páginas de um livro... qualquer que seja ele... kkkkkkkkk

    Pronto, desabafei! #aloka

    ResponderExcluir
  12. O que eu não entendo é o seguinte: já que vivemos num país democrático, as pessoas têm a possibilidade de comprar e lerem o que quiser, não? Eu odiei o livro Para Sempre, de Alyson Noel, e nem por isso recrimino ou peço para pararem de vender... por sinal é até um livro bastante vendido e cheio de fãs por aí afora.
    A realidade é que tem muita gente preconceituosa por aí.

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo post. Sério, eu vim aqui preparada pra discordar de tudo e tenho que tirar o chapéu, você soube abordar muito bem o assunto sem desrespeitar quem não gosta. Vou ser sincera, eu tenho vergonha dessas capas, sim. Ou melhor, teria se eu lesse os livros. Antes do Desafio Literário, eu nunca tinha nem pegado em um livro de banca. Com o DL, fui obrigada a pesquisar pra encontrar algum que não fosse "hot" e li dois livros que não tinham nenhuma cena de sexo.

    Concordo com você que as editoras não investem no marketing pra essa literatura. Aliás, eu acho que o próprio termo "livro de banca" deveria ser repensado e substituído por algo mais específico. Conheço bancas que vendem "livros de livraria" e livrarias que vendem "livros de banca".

    Mas uma coisa que ninguém comenta é que, da mesma forma que há preconceito contra os romances "de banca" ou livros eróticos, há também preconceito contra quem não gosta deles. Termos como "pudica", "puritana", "santa", "moralista" e etc são utilizados de forma pejorativa, como se toda mulher fosse obrigada a gostar. Sem contar essa história de que "estamos no século XXI" e etc. Sim, vivemos num tempo de liberdade sexual, mas isso implica em direito de escolha e optar por manter os costumes "antigos" também é exercer a liberdade.

    Então, se querem ter respeitado o direito de ler o que quiserem (e eu concordo que tenham esse direito), que tal começar respeitando o outro lado? Sem deboches, sem julgar que é falso moralismo, etc. Acho que quando falta o respeito - de qualquer um dos lados - todo mundo sai perdendo ;)

    ResponderExcluir
  14. Meu avô tinha banca e eu leio os Sabrina/Julia/Bianca desde os 13 haahahahaha (garota precoce)

    E acho que realmente é um disperdício a falta de divulgação em torno desses livros! Gentem, vale lembrar que quando eu comecei a ler esses romances, as autoras eram Nora Roberts, Barbara Delinski, entre outras, ou seja: autoras hoje consagradas escreviam pra essas publicações! Claro que tem história, e não é só sexo!

    Mas concordo quanto a capa e os títulos... =/ Achei no skoob outro dia um livro que AMEI quando li na adolescência "Kate, gatinha manhosa" GENTEM!! FALA SÉRIO! deu vergonha de marcar como lido!! hahahahaah (mas eu marquei =D)

    Ótimo post Grazi! E não se esqueça da nossa diva "Georgina Kincaid"! Richelle Mead CAPRICHOU nas cenas dela!! \o/

    ResponderExcluir
  15. As vezes acho que quem trabalha nesses editoras, são aquelas "veias" mal amadas, que não gostam de coisas hots, pq não tem para quem dar...kk
    Adoro livros Hot e sou fã dos IAN e Senhores do Submundo, apesar das editoras dar uma maquiagem nas cenas hots.
    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Ai, Alba. Agora eu ri!!!! "Kate, gatinha manhosa". Esse título é realmente comprometedor!! kkkkkkkkkkkkk

    E não me esqueci da diva "Georgina Kincaid"! Essa é a minha serie preferida ever!!!!! =D Usei a IAN como exemplo devido ao sucesso de público (e tb pq a serie é óóótima) =D

    ResponderExcluir
  17. eu super concordo com a paulinha, a gente tem que ler tudo até bula de remédio. Se você nao le vc nao pode falar mal, como você pode expressar sua opniao sobre algo que nao sabe?

    EU JA LI E LEIO ROMANCE DE BANCA DE REVISTA, BEIJOS


    e dai?

    E Dai que é valido a gente parar com esse preconceito besta, adorei o post, muito construtivo!


    Claro que cada um tem sua opniao, mas viu? QUEM NAO GOSTA DE UM LIVRINHO SENSUAL? hooooooooooy


    =x

    ResponderExcluir
  18. Grazi, vc lê livro sobre vampiros?
    Vc lê esse tipo de livro? ixxxxxxx

    bjo

    ResponderExcluir
  19. João, eu vou fingir que nem foi vc que apelidou Carol e eu de "Crepusculetes"!!!!

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    É tão bom ver os amigos comentando por aqui... =D

    ResponderExcluir
  20. João Vítoooooooooooooooooor!! Vc finalmente dando as caras por aqui e ainda mais pra tirar onda comigo e com Grazi, né?!!

    Pois é, vou nem dizer que foi vc quem nos apelidou de Crepusculetes!! Mas eu não ligo pq. vc tbm já leu Crepúsculo e só fala da boca pra fora!! =p

    Qnd vamos ver HP??

    Bjos

    ResponderExcluir
  21. Verdade, Carol!!! João Vitor não só leu a saga Crepúsculo como comprou todos os livros!!! hehehe

    ResponderExcluir
  22. Quero dizer um trabalho de marketing que mostre os pontos positivos desses livros, que mostre o sucesso deles em outros países, que explore a grande vantagem que eles têm em relação aos livros de livraria: O preço! --->

    Verdade! Eles tinham que apresentar melhor seus livros, isso é fato!

    ResponderExcluir
  23. Post absolutamente mara!!! *-*
    Eu amo livro de banca, e o povo meio que fica com o nariz torcido quando eu falo de livros de banca...
    Livros de banca, tem os seus bons, ruins, ótimos e maravilhosos, assim como livros de qualquer outro tipo... Enfim. A dica é: dê uma chance ao livro, leia, quem sabe vc gosta e não muda de ideia.

    Ps.: Livro HOT então, nem se fala! Livro hot >>> infinito >>> livro adolescente virginal
    #rebola *-*

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D

Projeto Lendo a estante #1

Eu tenho o blog desde 2010, e desde então começou minha compulsão por comprar livros e mais livros e nunca acabar mais. Hoje me vejo com seg...