domingo, 30 de janeiro de 2011

Em cartaz: Inverno da Alma

Olá, pessoas!! Neste último domingo de férias trago a vocês a crítica de um filme aclamado pela crítica especializada (mas não pela não-especializada, no caso, eu) e indicado a 4 Oscar's, incluindo o de melhor filme e melhor atriz (Jennifer Lawrence): Inverno da Alma.

A sinopse é essa de acordo com o folheto do cinema:

“Uma garota de 17 anos embarca em uma missão para encontrar seu pai depois que ele usa a casa de sua família como forma de garantir sua liberdade condicional e desaparece sem deixar vestígios. Confrontada com a possibilidade de perder a casa onde mora com seus irmãos pequenos, ela desafia os códigos e a lei do silencio arriscando sua vida para salvar sua família. Ela desafia as mentiras, fugas e ameaças oferecidas por seus parentes e dessa forma começa a juntar a verdade sobre seu pai.”

Parece um filme empolgante, com muita ação, suspense e reviravoltas, não é mesmo? Mas não é. Não existe NADA disso nos 100min de filme. O roteiro é fraquíssimo e deixa a sensação de “é só isso?” quando acaba a história e sobe os créditos finais.

“Inverno da Alma” foi categorizado como suspense - creio que por causa do desaparecimento do pai da menina - mas não fiquei nem um minuto sequer com vontade de saber onde danado estava esse homem. Só fiquei esperando ver o que a garota ia fazer pra não ficar desabrigada – vender os irmãos, se prostituir, traficar droga na rua, o que fosse -, já que descobriu que mataram o pai dela. Mas o que ela resolve fazer? Procurar o corpo! (Eu disse que não tinha ação.)

Além disso, a sinopse mente um pouquinho na parte final. Ree Dolly (a protagonista) sabe muito bem que tipo de homem era seu pai e o que ele fazia (era o melhor fabricante de metanfetamina do lugar), como também estava a par de que toda sua família estava envolvida com o crime. Então, não tem junção de verdade sobre o pai. Nada de novo é descoberto sobre ele. O único objetivo de Ree é encontrá-lo (e depois passa a ser encontrar seu corpo) para que ele fosse à audiência da condicional e pudesse manter a propriedade da casa. Pronto. Só isso. O problema é que ela resolveu fazer isso perguntando onde ele estava ao chefe do crime da área e a todos os seus primos criminosos, que, claro, não podiam falar nada, senão morriam também. Uma pena que nem essa impossibilidade de dar informações foi bem usada no roteiro.

Outra coisa ruim é a trilha sonora. Por quê? Ela é inexistente. Isso mesmo. INEXISTENTE. O filme é silente do começo ao fim! Só de vez em nunca colocam um sonzinho ao fundo pra tentar dar ar de suspense e... só. Pra dormir no cinema é uma beleza. E isso, adicionado ao fato de que nada na tela é bonito de ver (não tem ator bonito, os personagens são pobres e sujos, a paisagem é feia, tudo é meio acinzentado. Enfim, um horror aos olhos), quase lhe impõe umas cochiladas. Tô falando sério! Fora as tramas secundárias inúteis e as muitas cenas desnecessárias que aparecem. A história do exército foi ridiculamente mal usada e conduzida de maneira infeliz; e a cena do “despelamento” do esquilo era completamente dispensável.

Muito me surpreendeu as indicações ao Oscar que esse filme recebeu, principalmente a de melhor atriz para Jennifer Lawrence. A atuação dela não foi nada de extraordinário. Ela cumpriu bem seu papel e pronto. Não sei se é porque o roteiro e a direção não ajudaram muito, mas não achei impactante nem surpreendedor o desempenho da jovem Jennifer. Foi normal. Não merecia a indicação para um premio tão importante, ainda mais se compararmos com as últimas ganhadoras (Charlize Theron, Penélope Cruz, Nicole Kidman, Hilary Swan) – a pobrezinha se apaga. Se bem que nada tira o Oscar de Natalie Portman esse ano, né?

Enfim, o filme é muito ruim. Não gaste seu tempo nem seu dinheiro com ele. Acho que quiseram fazer um filme de arte, denso e não óbvio, mas acabaram com um produto chato, frustrante e monótono nas mãos. Não recomendo a ninguém.

Para ver o trailer clique aqui.

É isso, pessoas. Bom domingo a todos!!

6 comentários:

  1. Concordo com tudo Pri!!!
    Morro de vergonha por ter levado vc pra assitir esse filme horrivel.

    Gente que filme ruim,não existe razão pra um cristão dizer que esse filme presta pra alguma coisa, só mesmo se for pra dormir...eu tinha era vergonha de fazer um filme desse

    E o pior é só ter gente FEIA é um povo que saiu da desgraça do mundo só pode

    E essa Jennifer? desde onde a atuação dela é espetacular??O unico ali que é mais ou menos é o John Hawkes que faz o tio dela mas mesmo assim o personagem é detestavel

    Queria confrontar quem gostou desse filme para ver quais seriam os argumentos dessa pessoa para defender O inverno da alma

    O que valeu mesmo foi ter conhecido a Pri =D

    ResponderExcluir
  2. Que programa de índio!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Morri de rir com a resenha!!!!!

    Ainda bem que não assisti esse filme!

    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. morri de rir com a resenha +1 shuauhsauhsauhsahshahusahusa nossa, sem trilha sonora??? o filme deve ser ruim dmaaaais! xD

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  6. Me pergunto até hoje quem matou o pai de Ree :/

    ResponderExcluir

Adoraríamos saber a sua opinião, por isso, fique a vontade para expressá-la! Mas se ela for ofensiva, não iremos aceitá-la! =D

Projeto Lendo a estante #1

Eu tenho o blog desde 2010, e desde então começou minha compulsão por comprar livros e mais livros e nunca acabar mais. Hoje me vejo com seg...